CALDEIRA DE RECUPERAÇÃO

Blog de profissionaisgeral :CALDEIRAS DE RECUPERAÇÃO E TURBINAS, CALDEIRA DE RECUPERAÇÃO

 

CALDEIRA DE RECUPERAÇÃO

OBS:CALDEIRA DE CAPACIDADE PEQUENA APENAS QUEIMA 140T DE SÓLIDOS SECOS, COMEÇAREMOS PRIMEIRO PELA PEQUENA, E DEPOIS MEDIA E GRANDE PORTE.

 

 

A função do sistema de recuperação não consiste, unicamente, em recuperar produtos químicos, com um mínimo de perda , mas também consiste em :

 

· Produzir vapor para diversas operações, tais como cozimento e secagem, reduzindo os custos com energia elétrica;

· Produzir um licor de cozimento com composição adequada a sua reutilização;

· Eliminar parte dos efluentes com potencial poluidor;

 

Neste setor é feito a recuperação do licor que é usado no cozimento e na lavagem da polpa celulósica .

  

Descrição do processo

 

Todo licor preto proveniente da lavagem da polpa, com porcentagem de sólidos em torno de 15 %, é encaminhado para um tanque de estocagem denominado  Tq. de licor 15 %.

 

Nota: o Licor recebido da lavagem apresenta teor de sólidos em torno de  12 a 13 % para que atinja o padrão de 15 a 16% de sólidos exigido pelo processo de evaporação, é necessário que seja adicionado uma certa quantidade de licor 45%.

 

Do tq. de licor 15% é bombeado para o sistema de evaporação que contém 04 efeitos (evaporadores), chamado de multi efeito. O licor ao sair do sistema de evaporação apresentará uma porcentagem de sólidos em torno de 40 a 45%.

O licor do Tq. de 45 % será bombeado para o ciclone, que é um concentrador de contato direto com os gases da fornalha de + / - 62 % de sólidos .

Do ciclone o licor é transferido para o tanque de mistura, onde recebe sulfato de sódio ( para repor as perdas de produtos químicos ).

Do tanque de mistura, o licor é bombeado para o maçarico da lixívia, onde o mesmo pulveriza a mistura do licor nas paredes laterais e traseiras da fornalha através de um bocal oscilante. O licor atinge as paredes da fornalha e é parcialmente desidratado pelo calor emanado da camada carbonizante da mesma.

 

Nota: O licor alimentado na caldeira é composto de duas partes, uma orgânica e outra inorgânica, onde a parte orgânica é formada pelos componentes da madeira que estão dissolvidos no licor e a parte inorgânica pelas substâncias químicas residuais do licor de cozimento.

 

 

O calor de combustão será fornecido pela queima da parte orgânica do licor, isso com constante injeção de ar para manter uma atmosfera apropriada para a queima. Com a alta temperatura existente na fornalha, a parte inorgânica se fundirá e escorrerá através da camada inclinada da fornalha até a bica de fundição, indo cair no tanque dissolvedor, produto esse denominado de SMELT, ou seja, fundido que se obtém com a queima de lixívia preta concentrada.

 

No tanque dissolvedor será adicionado ao Smelt, licor branco fraco (alcalina), tornando-se o LICOR VERDE. Após a obtenção do licor verde no tanque de dissolução, o mesmo é transferido para um tanque de estocagem, e deste é bombeado para o apagador, onde é feita a adição da cal.

  Dosa-se cal devido a necessidade das reações abaixo:

 

CaO + H2O                          Ca(OH)2

 

Ca(OH)2 + Na2CO3                               2NaOH                    +           CaCO3

               (licor verde)                            (licor branco forte)                 (lama de cal)

 

 

 

A temperatura do apagador é controlada em torno de 100 ºC  (temperatura onde o licor verde reage melhor com a cal). A dosagem no apagador é regulada de acordo com a eficiência, que no nosso caso deve ficar em torno de 75%. Se a eficiência for baixa, aumenta-se a dosagem da cal e vice e versa. O Alcali  Total do licor verde fornecido pela caldeira de recuperação é em torno de 140 g/l.

 

O licor e a lama obtidos no apagador são transferidos para o reator, onde sua temperatura é mantida em torno de 80º C por 90 minutos (tempo necessário para reação).

 

Nota: No nosso caso o reator é dividido em 3 partes para haver uma perfeita reação.

 

Do reator, a mistura de licor e lama é transferida para o clarificador. Neste processo a lama de cal decanta separando-se do licor branco forte.

No clarificador de licor branco forte, o operador acompanha a consistência da lama e através desta, regula os intervalos de descarga. Portanto, consistência alta da lama, intervalos de descargas menores e vice versa.

         

Do clarificador de licor branco forte, a lama é transferida para o lavador de lama, que consiste num tanque onde a lama é misturada com água. Deste tanque, a lama é transferida para o clarificador de licor branco fraco. O sistema de separação neste clarificador é idêntico ao anterior.

 

O licor branco fraco transborda para o tanque de estocagem, sendo utilizado na diluição do SMELT e preparação de soda para reposição.

 

 

 

A lama é transferida para o tanque de estocagem de lama.

Após é enviada para o filtro de lama onde será engrossada (retirando o excesso de água), onde a água retorna para o processo e a lama de cal é armazenada em Local apropriado para este resíduo.

 

Quando há parada na recuperação ou mesmo em operação normal, existe a necessidade de repor a soda que foi consumida ou perdida no cozimento ou lavagem da polpa.

A preparação é feita diluindo-se soda cáustica líquida e licor branco fraco (alcalina), com adição de enxofre para a correção da sulfidez, introduzindo vapor para aquecimento e após +/- 20 minutos de agitação, a carga está pronta para ser enviada novamente ao processo.

 

Nota : Durante o processo de iniciação  (acendimento) da Caldeira, utiliza-se um óleo, este chamado de B.P.F (baixo ponto de fluidez). Este óleo também é utilizado durante a queima de lixívia, de acordo com o tamanho dos bicos utilizados, como auxiliar na queima.

 

 

Dados técnicos da Caldeira de Recuperação :

 

Caldeira – Gotaverken

Capacidade nominal de trabalho – 140 t/d sólidos e secos.

 

 

  

 

 

  

    

 

  

  

TERMINOLOGIAS

 

 

 

Álcali Total – NaOH + Na2S + Na2CO3 + ½ Na2SO3 (expressos em Na2O ou NaOH).

 

 

Álcali Ativo - NaOH + Na2S (expresso em Na2O ou NaOH).

 

Álcali Efetivo – NAOH + ½ Na2S (expresso em Na2O ou NaOH).

 

Eficiência da caustificação - é a porcentagem obtida pela divisão do NaOH pela soma NaOH +Na2CO3 , ambos os termos expressos em Na2O ou NaOH.

 

Sulfidez  - é a porcentagem do NA2S no alcali ativo, ambos expressos em Na2O ou NAOH.

 

Redução, no licor verde - é a porcentagem do Na2S em relação à soma de Na2SO4 + Na2S + qualquer outro composto com sódio e enxofre, todos expressos em Na2O ou NaOH.

 

Sulfato não reduzido  - é a concentração do NA2SO4 no licor verde, expresso em Na2SO4 em gramas por litro.

 

Licor Verde – é o nome aplicado ao licor obtido pela dissolução dos reagentes recuperados em água e licor fraco, preparatório para caustificação.

 

Licor Branco – é o nome aplicado ao licor obtido pela caustificação do licor verde. O licor branco está pronto para uso no digestor.

 

Licor Negro – é nome aplicado ao licor recuperado dos digestores até o ponto de sua incineração na área de recuperação.

 

ESTA CALDEIRA ATUALMENTE ESTA DESATIVADA, LOCALIZADA NO MUNICIPIO DE NOVA CAMPINA, NA ORSA CELULOSE E PAPEL.

 

sábado 23 outubro 2010 12:38 , em ==Caldeira de Recuperação==



Nenhum comentário CALDEIRA DE RECUPERAÇÃO



Seu comentário :

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (54.80.113.118) para se identificar     



Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para profissionaisgeral

Precisa estar conectado para adicionar profissionaisgeral para os seus amigos

 
Criar um blog